Devocional Lucas 18:1-8


"E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer,
Dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem.
Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário.
E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens,
Todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito.
E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz.
E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles?
Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?" (Lucas 18:1-8)


CRISTO conta a parábola de um juiz injusto, que diante da insistência de uma viúva, que continuamente o molestava pedindo que julgasse a causa dela, para que ela não o molestasse resolveu atendê-la.
Se o injusto juiz cedeu em fazer justiça mediante a constância do pedido da viúva DEUS em Sua justiça há de atender aos Seus mediante suas orações.
Duas coisas valem destaque, o primeiro é a afirmação “aos seus escolhidos”, ou seja não é o pedido de qualquer um, não é qualquer oração, é a dos seus escolhidos. O segundo é “lhes fará justiça”, ou seja não é qualquer pedido, não é qualquer oração, é o pedido de justiça.

DEUS é longânimo e justo  para com os Seus. E os que estão justificados por CRISTO tem acesso ao Pai através da oração e são os únicos que possuem a certeza da resposta. Amém. 

Postagens mais visitadas deste blog

Missões? Por que e pra que?

Colômbia: Aprendizado, Serviço e Gratidão.

Festa Marcolina